Bruiser Sports
novembro 8, 2016

Equipamentos de futebol americano possuem certificação?

O futebol americano é o esporte mais popular nos Estados Unidos e vem ganhando força pelo mundo afora. A estratégia e disciplina tática torna o esporte cativante aos espectadores, juntamente em paralelo, a força física com pancadas “lindas de se ver”. O futebol americano é um esporte de contato, ou melhor dizendo, de colisão. É natural que ocorra essas trombadas e que por mais que elas pareçam violentas, os atletas possuem equipamentos que o protegem e este é o ponto que iremos abordar hoje. Esses equipamentos são de fato seguros?

Recentemente foi lançado um filme chamado “Um Homem Entre Gigantes”, tradução livre de Concussion, que conta a história de um neuropatologista que pesquisa traumas cerebrais recorrentes em atletas de futebol americano e trava um embate com a liga profissional para proteger a integridade física dos jogadores. Não podemos negar, este filme tocou na ferida da NFL e nos fez questionar se estamos mesmos protegidos com esses equipamentos. Para ajudá-los, a Bruiser Sports fez esse blog post explicando como funciona a certificação desses equipamentos. Confira!

Equipamentos de Futebol Americano … Quem os certifica?

Toda vez que tocamos no assunto segurança acabamos esbarrando em uma empresa ou norma regulamentadora. No Brasil, estamos habituados com o Inmetro ou normas ISO, que possuem o papel de certificar que produtos ou serviços sejam feitos obedecendo padrões que se enquadram em sua própria categoria, como qualidade, dimensões, formatos, dentre outros. Nos Estados Unidos não é diferente, desde a criação do futebol americano, o esporte evolui dentro e fora das jardas, assim como os equipamentos. Para isso, os americanos possuem um órgão regulamentador, tal como o Inmetro no Brasil, específico para equipamentos esportivos.

Órgão especializado realizando testes de impacto.
Órgão especializado realizando testes de impacto.

National Operating Committee on Standards for Athletic Equipment (NOCSAE) é o comitê dos EUA que estabelece os padrões de fabricação de alguns equipamentos do futebol americano e realiza testes para certificar a eficácia em proteger o atleta que faz o seu uso. Lá são realizados diversos ensaios que simulam situações específicas que ocorrem dentro do jogo, os quais são gerados estatísticas que são analisadas para comprovar que o equipamento segue os padrões de segurança estabelecidos em comum acordo com a liga, com a Associação dos Jogadores (NFLPA) e a própria NOCSAE.

 

Quais equipamentos de futebol americano são testados?

É natural que a maior preocupação com relação a segurança na prática de futebol americano está relacionada com a cabeça, que é a parte mais frágil do nosso corpo. Incontáveis fundos já foram (e continuam sendo) destinados a pesquisas sobre a segurança dos capacetes de futebol americano e a redução dos danos causados por impactos na região da cabeça, diretos ou indiretos. Entretanto, outros materiais esportivos utilizados no futebol americano são testados para assegurar que eles seguem os padrões estabelecidos, os quais já citamos anteriormente. Veja quais são os equipamentos analisados no futebol americano:

  • Luvas e Protetores de Mãos
  • Faceguards Ou  Facemasks
  • Capacetes

Sentiu falta de alguns aparatos? Por mais que sejam tão importantes quanto os testados, outros equipamentos tais como Shoulder Pads, Seven Pieces, Chuteiras ou Protetores Bucais não são analisados pela NOCSAE. É possível que a não realização destes testes seja devido a falta de regulamentação de padronização manufaturada desses materiais em específico.

 

Os equipamentos de futebol americano passam por quais testes e certificações?

De acordo com os padrões publicados pela própria NOCSAE, cada material analisado passa por diferentes ensaios, relacionados ao uso, condições e diferentes possibilidades de ocorrências dentro do esporte. Para falar melhor de cada teste realizado, vamos separar por tipo de equipamento testado.

Luvas e Protetores de Mão

  • Teste de Aderência da Palma

Este teste é feito sob a superfície de vidro. É cortado um pedaço da palma da luva com tamanho de 1 x 2 polegadas e com o peso de no máximo 4 gramas. O próximo passo é pegar uma cobertura de 2 polegadas quadradas que simule uma palma de mão (footprint), com um papel de cera entre a cobertura e a parte traseira da palma da luva para garantir a aderência do material na footprint, com uma força de 2 psi aplicada. Aplique o teste por 60 minutos e retire cuidadosamente a cobertura sem deslocar o pedaço da palma do vidro. Depois de 5 segundos da retirada da cobertura, gire o vidro em 180º e aguarde a palma cair ou 90 segundos se não cair antes, podendo retirar após este tempo. Após essa rotina, observe se algum resquício de material da palma ficou no vidro.

  • Teste de Fricção

Utilizando a mesma superfície, a luva é pesada para certificar que está dentro dos padrões e encaixada no meio da área com a palma em contato com o vidro e as costas da luva com uma superfície de Teflon para deslizar. A luva é acoplada a um cabo flexível e polias que realizarão os testes, puxando a luva pelo centro ao longo da tração de força vetorial. A velocidade da fricção é de mais ou menos 50 mm por minuto, sendo a sua área da base até a ponta final, utilizando a mesma pressão aplicada no teste anterior. O teste é repetido mais 3 vezes com adição de tempo de 15 segundos de fricção.

Apos esses dois testes, as luvas são rotuladas, embaladas e são gerados relatórios com nome do laboratório, do técnico que realizou os testes, temperatura do laboratório, material testado, resultados dos testes realizados e outras informações pertinentes ao ensaio de acordo com as normas da NOCSAE. Caso o produto testado contemple os requisitos estabelecidos, ele ganha a certificação e um selo que comprove o cumprimento dessas regras.

Selo certificador de Luvas da NOCSAE.
Selo certificador de Luvas da NOCSAE.

Faceguards ou Facemasks

  • Teste de Impacto

O único teste realizado para as faceguards é o impacto, porém, realizado em graus de impacto, condições e ensaios diferentes. Todos os ensaios são realizados em variações climáticas, sendo as temperaturas baixas entre -29ºC e 2,6ºC e as temperaturas altas entre 2,6ºC e 49ºC. São realizadas as medições para certificar a padronização (de acordo com os documentos da NOCSAE) do teste aplicado, que consiste em “soltar” em uma queda guiada a faceguard acoplada em um capacete de uma altura de 13,89 ft (4,23 m) e demora um segundo para o contato, mensurado por contato de impulso elétrico e contato de papel de carbono. Um segundo teste é realizado com uma altura de 17.94 ft (5.46 m) A velocidade é mensurada pela aceleração do centro de gravidade (sim, os 13,89 ft/s e ) e os resultados são captados por sensores internos em forma de pinos onde o capacete está inserido. Entenda melhor na imagem:

Teste de Faceguard da NOCSAE.

Capacetes

  • Teste de Impacto

Da mesma maneira que as Faceguards, os Capacetes também possuem um único teste, o de impacto. As condições de aplicação são semelhantes, porém, resguardadas as peculiaridades do equipamento testado. Primeira diferença está na aplicação em temperaturas, onde nas faceguards eram realizados ensaios em baixas e altas temperaturas, nos capacetes os testes são feitos em temperatura ambiente e altas temperaturas. A segunda diferença são nos ângulos de impacto. Enquanto as faceguards eram testados em apenas dois ângulos diferentes (Inferior e Frontal), nos capacetes são seis ângulos. Observe na figura:

Ângulos em que os testes são realizados nos capacetes de futebol americano.
Ângulos em que os testes são realizados nos capacetes de futebol americano.

Estes testes de impacto são realizados em velocidades diferentes que variam entre 3,46 m/s e 5,46 m/s e nas temperaturas já citadas anteriormente. Todos os dados são recolhidos através do tapete de contato e compilados. Os cálculos são realizados para certificar que o produto é capaz de absorver os impactos pelos quais ele foi submetido nos ensaios e que mantém os padrões determinados nos documentos. Após a aprovação da certificação, o equipamento recebe um selo autenticador, que comprova que o equipamento atende as normas e está dentro dos padrões estabelecidos pela NOCSAE. Somente depois de todos estes testes que o equipamento está pronto para ser comercializado pelos fabricantes.

Selo certificador de capacetes.
Selo certificador de capacetes.

Meu equipamento de futebol americano é certificado?

Para saber se o seu equipamento de futebol americano foi testado e cumpre com todos os requisitos normativos estabelecidos pela NOCSAE, basta procurar por um selo de autenticação, que pode ser por uma etiqueta ou “impresso” no próprio equipamento.

Luva de Futebol Americano com o selo de certificação da NOCSAE.
Luva de Futebol Americano com o selo de certificação da NOCSAE.

Não se desespere se o seu equipamento não estiver com o selo de certificação visível. Ele pode estar costurado ou adesivado na parte interna do seu equipamento. Se você estiver em dúvida se o seu equipamento é certificado, você pode entrar em contato com a NOCSAE e consultar a marca e modelo que você utiliza. Não se esqueça, se for enviar uma mensagem, tem que ser em inglês.

Capacete do Indianapolis Colts com o selo de certificação.
Capacete do Indianapolis Colts com o selo de certificação.

Os equipamentos de futebol americano da Bruiser Sports são certificados?

Como dito anteriormente, alguns equipamentos de futebol americano não passam por testes ou ensaios, portanto, não possuem certificações, dentre eles, estão os Shoulder Pads, Rib Protector e Back Plate, independente do fabricante. Mas tem um porém! Não é porque esses equipamentos não são certificados pela NOCSAE que não nos importamos com a segurança que ele oferece. Todos os equipamentos da Bruiser Sports passam por cálculos baseados nas propriedades técnicas das matérias primas e insumos utilizados em seu processo de fabricação e antes do lançamento, são vários testes em campo em variadas posições e situações.

Atleta Felipe SeZu do Juventude FA com Shoulder Pad da Bruiser. Foto: Stefanie Waltrick
Atleta Felipe SeZu do Juventude FA com Shoulder Pad da Bruiser. Foto: Stefanie Waltrick

A Bruiser Sports procurou o órgão certificador nacional, Inmetro, para requerer uma certificação para nosso equipamento. A resposta foi que o Shoulder Pad não se enquadrava em nenhum tipo de material utilizado no Brasil que fosse certificado pelo Inmetro e com isso, nós abrimos uma nova solicitação para que nosso equipamento possua uma certificação. Essa solicitação está em andamento, contudo, o processo é moroso. A Bruiser Sports já se comprometeu e demonstrou o seu interesse em certificar os seus equipamentos assim que uma certificação for lançada, seja qual for o órgão regulamentador. Se você é estudante e quer analisar os nossos produtos, entre em contato conosco pelo nosso e-mail [email protected].


Após a apresentação de todos os fatos, nós podemos concluir que a certificação de equipamentos é essencial para a proteção da integridade física dos atletas praticantes de futebol americano. O esporte é intenso e promove muitas colisões, porém, a tecnologia avança para cuidar dos atletas. Muito projetos estão sendo estudados com a esperança de mudar para sempre o futebol americano, diminuindo drasticamente as lesões por pancadas na cabeça, por exemplo.

A Bruiser Sports defende a segurança em primeiro lugar. Compre material esportivo de sua confiança. Se tiver alguma dúvida, procure nos FAQ’s da NOCSAE ou entre em contato conosco. Não se esqueça também de curtir a nossa Fanpage no Facebook! #PlaySafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *